Preciso de atirar os animais internos para o papel, numa purga diária. Se não os depuro, crescem. E há mais: quero um repositório do que faço, pouco ou muito. Por isso, que se lixe. Cada entrada será o que for e espero que isso ajude.

Entrada#12

Ontem, parece-me que cheguei à ideia que liga todas as linhas de narrativa. Sem isso não era possível avançar. A minha satisfação assemelhou-se a uma onda nascida no estômago e embatida nas mãos, em formigueiro. Queria saltar para fora de mim, de tão contente. Entretanto a onda foi contida pela dúvida. Mas há que ser tolerante e viver os momentos de ânimo com simplicidade, mesmo sabendo que duram pouco. Apostar numa certa indulgência difícil de manter: a inocência de acreditar que chegarei a bom porto. Depois, remar como tal.

Entrada#13

Guia do adultério