Preciso de atirar os animais internos para o papel, numa purga diária. Se não os depuro, crescem. E há mais: quero um repositório do que faço, pouco ou muito. Por isso, que se lixe. Cada entrada será o que for e espero que isso ajude.

Entrada#19

Por vezes, penso que a única coisa que construo é um muro à volta da mente. Dedico-me de forma obstinada a erguer obstáculos para depois, não menos obstinadamente, pensar em como ultrapassá-los. Se V. não é afinal um antagonista demasiado simples, se F. alcança a dimensão que pretendo, se G. – em quem está tudo – consegue suplantar a sua condição. E isto é como ir numa onda e retornar nela, boiar numa substância adversa, quando seria tão mais fácil recorrer à auto-suficiência dos palermas ou dos vencedores. Um edifício demasiado grande e descarnado e eu no meio, pequeno e a encolher, como quando forcei a entrada no PdA. Seria melhor admitir que V., F. e G. não interessam a ninguém e o que lhes acontece pouco importa até para mim. Depois, avançar, galgar o tal muro, e chegar àquilo que todos queremos, seja lá o que isso for para cada um – o coração da vida.

 

Finders Keepers

Entrada#18