Preciso de atirar os animais internos para o papel, numa purga diária. Se não os depuro, crescem. E há mais: quero um repositório do que faço, pouco ou muito. Por isso, que se lixe. Cada entrada será o que for e espero que isso ajude.

A literatura é a melhor jornada

Nesta Viagem ao Sonho Americano, Isabel Lucas percorre costa a costa em busca dos lugares de que os livros se apropriaram, mas sobretudo das gentes, e dá-nos um fresco dos EUA na época crítica de 2016-2017. Será mais uma viagem ao desencanto americano, a julgar pelos vários embates que foi sofrendo: escritores preocupados, sem-abrigo em estações ferroviárias, votantes e não votantes, taxistas que desabafam, encontros ocasionais de onde se tira sempre alguma coisa, pessoas esperançosas e desalentadas... Todos foram parar a estas doze reportagens agora compiladas em livro. Tratando-se de uma viagem literária, ou seja, profundamente humana e aberta ao mundo, vê cada obra como reflexo da condição humana e vai testemunhá-la. A grande sombra é Trump, espécie de prisma sob o qual cada um se define, triste ironia. Gostei especialmente de conhecer melhor o Ohio de Donald Ray Pollock, que aos 50 anos desistiu de ser operário para escrever. Mesmo que já se tenha lido no Público, só se percebe a verdadeira dimensão do empreendimento de Isabel Lucas nesta colectânea, de facto uma das melhores novidades de não-ficção que por aí têm aparecido.

Trabalhava na fábrica de papel e lia quando podia. «Pouco tempo depois de estar sóbrio, comecei a ir à faculdade e a aprender a separar livros: os que devia ler, e outros que eram uma perda de tempo.» Formou-se em Inglês, especializou-se em William Shakespeare e um dia, tinha 50 anos, viu o pai sentado no sofá em frente à televisão e deu-se um clique. Não queria pensar em si daquela maneira, com aquela idade, sem outra coisa que não um passado de vida na fábrica. «Não sabia fazer mais nada. Lia e era operário.» Quis ler melhor e chegar a uma técnica. «Talvez conseguisse escrever», ri. Desistiu do emprego, avisou a família que ia tentar ser escritor, chamaram-lhe louco. Concorreu a uma bolsa de escrita na Universidade do Ohio com um conto original e ganhou.
— p. 78

Viagem ao Sonho Americano - A América Pelos Livros
Isabel Lucas
Companhia das Letras

Entrada#17

Entrada#16